segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Os segredos do coração


                                             

Todos nós temos, em nosso corpo, marcas,marcas que caímos,operações ha  outros que têm marcas de cortes que fizeram cozinhando, ou por um golpe. São marcas! Outros têm arranhões, outros têm feridas porque esbarraram, bateram, quebrou-se um osso. Todos nós temos algum tipo de marca. Marcas exteriores que todos olham e podem ver. Mas existem marcas resultantes de feridas que os olhos não podem ver, não são feridas externas, que chamo de feridas escondidas.

Mas o que são feridas escondidas? Feridas escondidas são Memorias
 muitas pessoas com memórias que as ferem muito, machucam, que fazem doer, porque foram abandonadas, ou passaram por abusos, ou por sempre terem sido criticadas severamente, ou porque foram odiadas, ou porque não foram desejadas, ou porque passaram por abusos sexuais, espirituais, ou porque passaram por ritos espiritualistas, ou entraram em lugares chamados “Igreja” e foram abusadas espiritualmente. Enfim, são muitos os casos.
 Todos têm alguma ferida escondida. Todos têm feridas emocionais.
Tu sabes que uma ferida física é curada em uma semana, mas uma ferida emocional, às vezes, demora anos. Há pessoas que são curadas no corpo, mas as suas emoções têm feridas irreparáveis. Se esse é o teu caso, trago boas novas: Jesus pode curar todas as feridas escondidas. Vamos começar um processo de cura e de milagres. Lê Êxodo 15:26.
Salmo 147:3 diz: “sara os de coração quebrantado e lhes pensa as feridas.”
Não se consegue ver um coração ferido, quebrado. Mas a Bíblia diz que o Senhor sara o coração quebrantado, “pensa” as feridas, trata as feridas.
Jesus, no Seu Ministério de três anos, curou muitas pessoas. Curou lepra, problemas espirituais e toda sorte de doenças. Lê Isaías 53:4.
Existe um caminho para a cura de memórias feridas! Existem coisas lá dentro que precisam ser tratadas e que não podem ser tratadas de qualquer jeito. É preciso que a Igreja ensine ao povo de Deus a se libertar para que a cura aconteça.
Qual o caminho para a cura de memórias feridas?
1. Abrir o coração.
Salmo 39:2 diz assim: “Emudeci em silêncio, calei acerca do bem, e a minha dor se agravou.”
Todas as vezes que alguém fecha o coração, fecha a confissão, a dor se agrava, e vejamos o que acontece com o coração. Versículo 3“Esbraseou-se-me no peito o coração; enquanto eu meditava, ateou-se o fogo;”.
Há memórias que doem. É como uma brasa, um ardor, dá vontade de vomitar. Há um mal-estar, e a pessoa sofre muito.
Há muitas pessoas que tentam escapar de suas feridas tomando cerveja, whisky, outros se drogam, outros se tornam alcoólicos, outros trabalham, trabalham, outros explodem os seus nervos, morrem prematuramente.
Então, quando não se abre o coração, quando não se é honesto consigo mesmo, a dor se agrava, piora. É preciso ser honesto consigo mesmo e com Deus.
É na Igreja que encontramos conselheiros seguros: Bispos, Pastores, Pastoras, com quem se pode abrir o coração e confiar a dor interior.
Portanto, a primeira coisa a fazer é abrir o coração, porque, toda vez que nos calamos, a dor se agrava e piora. Se tens um problema, abre o teu coração com um conselheiro, com alguém que seja preparado.
2. Liberar aqueles que ferem.
Quem continua com ressentimentos, piora. Só há um caminho para curar as feridas do coração: o perdão. Mesmo que as pessoas que feriram não o mereçam, é preciso perdoá-las para o próprio bem.
Paulo disse em Romanos 12:17: “Não torneis a ninguém mal por mal; esforçai-vos por fazer o bem perante todos os homens; se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens; não vos vingueis a vós mesmos.”

Depois que você desabafa e pede perdão tudooooo se torna águas passadas...
 Não terás mais memórias feridas. O milagre aconteceu! O milagre aconteceu! O milagre já aconteceu! O milagre já aconteceu! O milagre já aconteceu! O milagre já aconteceu! Amen!
Fechar é pior. Abre o coração! Confia em alguém, perdoa, libera, agora! E a prosperidade, a benção, a paz, a tranqüilidade e o sono virão. Essa é a vontade de Deus!

Nenhum comentário:

Postar um comentário